Yes! We Stand Up. Magazine Digital sobre Hip-Hop Lusófono. Copyright (c) 2017 #FMN "FreeMind! News.". All rights reserved
Magazine Digital

Discurso de Rahiz sobre o seu futuro trajecto…

  • Posted By :FMN TEAM
  • /
  • Comment :1

Discurso de Rahiz sobre o seu futuro trajecto musical deixou muito confusos e perdidos. Nome do REAL RAP da Tuga. Deixar?

O Rahiz tem nas últimas semanas mostrado o seu ponto de vista. Pois, existe um visão deportada do que é RAP ou Hip-Hop em Portugal.
Um pequeno País Europeu com uns quantos artistas com a mania. Quando achamos que eles não percebem nada de Inglês e manipularam a essência da Cultura.

Acontece só num País como Portugal.

É pena! A falha grave de conhecimento, mas não é por isso que estamos a criar esta publicação.
…, mas sim, esclarecer que o RAHIZ não vai deixar de rimar. Deixará, é de dedicar um álbum completo. Apenas, ao estilo Boom Bap.
Vai haver muita musicalidade nos álbuns futuros e certamente que a knowledge e o protesto contra o sistema continuará. 😉

Realmente, chegou o tempo para mudanças, mas não podemos deixar o nosso lugar aos outros Zés do movimento.

A publicação que deixou os seus fãs perturbados:Clica.

“O #RAHVOLUTION vai ser o meu ultimo album oficial de Hiphop e ele sairá apenas por respeito por aqueles que encontram luz no meu Rap.
De verdade o meu lado focado no Rap português morreu com o #Celsopp e apenas por respeito devo mais um album official com direito a todos os “molhos” aos meus fieis fãs.
Colegas da musica e amigos chegados há muito que desejam que eu deixe de me associar com o Hiphop em portugal, viram me sofrer por isto, lutar por isto, dizem que o Rap e Portugal sempre foram pequenos demais para o que tenho para dar mas o amor pelo meu povo sempre foi tão grande que por demasiado tempo julguei que o Rap era a maior arma que tinhamos para lutar pela mente desse meu povo mas hoje vejo que é das maiores armas usadas para o contrario.

Com todo o respeito por todos e tudo o resto mas sendo um artista a trabalhar além portugal sempre foi-me dificil aceitar o filme da industria Portuguesa e mais ainda o constrangedor filme do rap feito em Portugal, chega a ser embaraçoso quando pelo mundo divulgo o que por portugal vai-se fazendo e a pergunta que me fazem é:

” Como é que vivem da musica em Portugal ??”

Ninguém compreende e o pior é que a Malta vai-se mentindo com os trocos que faz e perpetuando essa mentira de que se vive da musica em Portugal quando na verdade sobrevive-se.
A realidade disto se explica desta forma:

” a Malta está toda a hora em festas, mas como? Com os ordenados de Portugal? A malta em portugal gosta de mandar paleta”

Os mais próximos sabem como sempre neguei propostas que visavam suprimir o meu lado hiphop, cala-lo, fui muito confrontado pelo amor que tenho pelos meus e muito assediado com a contrapartidade de ter de abandonar a “mensagem” e substitui-la pelo meu dom vocal e versatilidade..
Tive muitas propostas mas nunca consegui negar quem sou, por ser leal a princípios, não consigo fingir, não consigo mentir sobre o que sinto acerca do mundo que me rodeia, hoje a industria da musica até num mercado micro como o português é baseado em mentiras, ilusões e espero que um dia os que livremente participam neste enorme Bluff não caiam no desgosto, na depressão da realidade ficticia que ajudaram a construir…

PORQUE É QUE MENTIMOS AOS MAIS NOVOS??
PORQUE FALTA HUMILDADE PARA ASSUMIR QUE FIZEMOS POUCO E ELES PODEM E DEVEM FAZER MAIS ??
QUE FOMOS FRACOS, COBARDES, EGOCENTRICOS, ARROGANTES, GANACIOSOS??
QUE FOMOS A GERAÇÃO COM MAIS MEIOS MAS QUE MENOS FEZ PORQUE FOMOS INDIVIDUALISTAS??
CONTINUAMOS A VENDER SONHOS DE SEGUNDA MÃO, NOSSOS EGOS NÃO PERMITEM QUE PREGUEMOS A VERDADE SOBRE NOSSAS CONQUISTAS, O ORGULHO NÃO DEIXA-NOS ASSUMIR QUE PELO AMOR DA FAMA VENDEMOS O AMOR DE VERDADE, O AMOR POR NÓS E PELOS NOSSOS, VEMOS-NOS COMO FRACASSADOS DE VERDADE ENTÃO VENDEMOS A MENTIRA DO SUCESSO.
VENDEMOS MUITO MAIS QUE O FUTURO POR MEIA DUZIA DE VISUALIZAÇÕES E A BOCA DO “MUNDO”…

A minha decisão foi tomada depois do meu prémio de melhor artista de hiphop africano no #AEAUSA2016 ao ver uma cultura inteira fingir, celebrei com pouquissimas pessoas evidentemente o que por senso deveria ter sido comemorado por aqueles que vivem o nosso hiphop e mais que isso em portugal.
Fomos divididos pelo espirito colonialista, dividos em o que consideram ser rap português, rap kriolo e o outro que foi ganhando forças em terras de opressão alimentado pelo direitos privados a um povo onde o silêncio do verdadeiro rap lá foi fazendo alguns regorgitarem um discurso patético e imaturo de homens e mulheres pais de homens e mulheres que defendem a cobardia do silêncio das suas vozes com o facto de terem de sustentar homens e mulheres à sua Volta..

Todos adoram o Bob Marley , 2 PAC e etc mas só a musica pois estes eram muito mais que musica e a maioria no nosso Mercado por vezes nem musica são.
Ficaram as Rastas apenas e as rimas, muitas rimas, muitos flows, muita teoria, pouca Arte, muita falta de identidade, pouca essência, pouca humildade, pouco amor próprio, pouquissimo amor pelos nossos e empatia pelo próximo.

Sempre achei estranho numa sociedade onde falta tanto se ouvir tão pouco da verdade, onde o rap e o Hiphop são apenas banda sonora e genero musical sem qualquer poder e efeito na vida social.
O rei do dito rap consciente é uma mentira bem contada e repetida vezes sem conta que se tornou verdade.
No bairro eramos todos os mais lixados até aparecer o mais lixado de todos, ficarmos calados e sermos desmentidos por estarmos a contar a vida e a historia de outros…
A cor negra nos dá uma certa credibilidade, mais ainda quando viemos dos suburbios mas nem todos os negros são africanos de espirito e nem todo aquele que vive no bairro vive o bairro..

Vivi para ver um país Como Portugal , país onde nasci e o racismo ainda opera, não poder contar com a voz do rap de verdade na luta pela igualdade, Vivi para ver um pais irmão ( Angola ) um país onde crianças morrem por falta de necessidades básicas não poder contar com o verdadeiro Rap na luta pelos direitos humanos e os rappers numa maioria calados se gabarem do seu silêncio que lhes proporciona algum bem estar material quando abracados pelo povo angolano.

Vivi para ver jovens negros morrerem e Nada da extrutura do hiphop se impondo pela justiça, um silêncio sem sentido de ditos reis e rainhas sempre em jogadas de relações publicas que mesmo quando confrontaram o sistema fizeram-no sempre politicamente correctos para não prejudicarem suas carreiras.
Muito pouco amor real pelo povo, muito egoísmo…

Vivi o suficiente para vos adiantar que devido a falta de responsabilização, maturidade, coragem e consciência daqui a 10 anos nenhuma extrutura real se criou para canalizar e poder guiar o futuro dos mais novos que queiram seguir carreiras reais no meio, daqui a 10 anos os problemas da nossa comunidade continuarão iguais ou piores porque a unica coisa que se esteve a focar foi no sucesso individual de um ou de outro que ampliou em 10 os seus feitos no seu discurso, pois só numa sociedade de mentes tão pequenas gente tão pequena se faz de tão Grande com tão pouco e sucede na opinião popular porque a visão colectiva é curta.

Dei muito por esta cultura que em portugal finge e mente e a minha maior tristeza dentro disto é de nunca ter visto a realidade, a verdade se posicionar e ser respeitada no minimo, vi o Italia dos Twa se entregar á pressão, vi o Beto de chelas nos deixar entregue á presão, por vezes penso no #chullage e digo para mim que eu no lugar certo lhe terei perto porque esse Sim , esse com sangue, lagrimas e suor de verdade foi a voz mais consistente e realmente consciente do Rap em Portugal, geração pós #BossAc.

Vi reais e verdadeiros irem desistindo, irem-se calando por causa da opressão dos anti liberdade de expressão que apelidam todos aqueles contra a opinião popular do hiphop de haters para deixar ficar a falar miudagem que só faz “rimas”, deixar ficar a falar falsos profetas e moralistas que no final do dia até conseguem momento de antena, promoção e visibilidade para nada mais nada menos que suas campanhas individuais porque vivemos numa sociedade hipocrita e cinica, dos amigos dos amiguinhos que acabam sempre se revelando como falsos.
Vi isto de dentro pra fora de fora para dentro, meu primeiro show foi em finais de 1994 e hoje estamos em 2017, quando dizem que hoje temos industria fico confuso..

Como pode haver industria num país onde os artistas não sabem e nem querem saber dos seus direitos, que sucesso é esse de que se fala??
Sucesso do dinheiro??
Quem se fez rico nisto??
Sem o mais importante, que dinheiro é esse que se faz que tem a maioria fugindo á consciencialização, á responsabilidade humana?
NÃO ENTENDO A COBARDIA QUANDO NÃO VI NENHUM RICO NISTO.

O projecto #deepressão sai muito em breve e foca-se na depressão associada á luta de muitos neste mundo duro de polaridades invertidas.
O album #Rahvolution está acabado e quando vocês quiserem ele será disponibilizado, digo isto pois foi feito em respeito aos que seguem e a estes peço que partilhem este texto e os futuros ultimos trabalhos de Hiphop.

De resto estou a trabalhar a minha carreira como artista internacional de musica com produtores, entidades, cantores e até desportistas internacionais, focado no Rahiz, o artista africano descendente de caboverdianos nascido em Portugal que de momento não pode adiantar muito mais sobre o universo Rahiz por Vir, dai o silêncio e a demora.

Sem pressas e obrigado pela atenção dada, Sim os reais que apoiam, a vocês digo que vos amo incondicionalmente …” By #RaaaaaaaaaaaH

Uma publicação para explicar mais o assunto. clica.

“COMO ARTISTA DE HIPHOP A CENA
é que sempre senti-me obrigado a separar a sonoridade abrangente dos estilos que me definem como talento nos meus álbuns pois criou-se uma regra em Portugal e somente em Portugal, ditando que um Africano que faz HipHop em Portugal só pode ter Rap no Álbum para ser considerado HipHop e nada mais que o define como cultura pode estar Presente senão deixa de ser puro Hip-Hop Tuga.
Isso sempre me soou a um discurso opressor, pois é como se eu tivesse de não ter os elementos que me definem como humano e cultura para ser aceite, quase como a europa a impingir-me regras de como estar e ser para ser aceite como igual.

Regras Apoiadas Por Negros sem Orgulho e sem vergonha na Cara á procura de serem aceites pela Sociedade dominante e Companhias Literalmente Limitadas que têm Peso Real na formação da opinião Popular do Mundinho do HipHop Tuga, escolhidos por um estrutura Mediática ausente de humildade e real amor pela arte independentemente da cor, dialecto e classe, ausento de amor pelo povo e interesse pelos seus problemas com agendas pessoais que sempre tiveram essência colonialista e me fazem perguntar se o #Noreaga passou a ser considerado cantor de reggaeton.

Podíamos ser como França mas o problema da tuga foi sempre aceitar por completo a multi culturalidade e o que vem com isso..
O Booba dos #Lunatic O Alonzo e o Soprano Officiel dos #Psy4delarime e outras lendas do HipHop Francês até hoje são considerados Base do Hip-Hop, Rap, Altamente Respeitados e a sua Discografia não tem só Boom Bap.

Como pode o Hiphop que na sua origem provém dos Bairros originalmente uma cultura africana e ferramenta da minoria oprimida contra essa mesma opressão de ideais Eurocentricos ser Liderado por algo que se Auto-proclamou de Primeira Liga??
Consideraram-se de verdadeiro Rap e defendem Divisões e Elitismos??
Como pode ser possivel??

Como pode um intelectual como o Valete, Um Negro Considerado Revolucionário autrora apelidado de Rapper consciente Africano Apoiar a Demonização da Kizomba entre linhas Oprimindo Publicamente e criticando a Liberdade de um Rapper Africano de a fazer sendo que a Kizomba e o Hiphop são Ambas parte da Cultura Africana em Portugal quando de verdade muitos de nós ouvimos Kizomba primeiro que ouvimos HipHop, pois o HipHop Provém de um grupo de Africanos Roubados de Africa, Privados da sua Historia, desligados da sua real espiritualidade coisa que os “Kizombeiros” não foram??

Falando do que é HipHop o Mc Hammer era Rap, era Hiphop, Aliás o HipHop tem a sua Vertente Dança e Festa, Os pioneiros faziam-no em festas de bairros e era suposto as pessoas dançarem e se divertirem enquanto se expressavam da Alma para também fugirem da energia de opressão na qual viviam Logo me recuso a pertencer a uma cultura com um discurso tão Opressor, Inculto, Divisório, Contraditório, sem sentido e tão BRANQUEADO quando já no meu primeiro grupo , os #ShotGun o maior problema entre nós é que sempre fui apologista de que Africa e a sua Cultura são um só e tudo o que sou estaria na minha musica pois entendia que se a Kizomba, Semba, Morna, Coladeira, Funaná, Kuduro e etc fosse base da cultura dos chamados Afro Americanos ESTES TERIAM ESSES ELEMENTOS NO SEU RAP SEJA EM SAMPLES SEJA EM TOTAL SONORIDADE.

Confuso, Limitado, atrapalhado e menos seguro na essência da espiritualidade na minha musica sempre dedicava um álbum inteiro ao Hip-Hop Tuga, sendo menos eficaz no meu objectivo que é o de passar a energia do Hip-Hop, a mensagem que é o mais importante, a essência e durante muito tempo tive de dividir o meu poder em projectos paralelos que foram separando a minha Fan Base confundindo-a e enfraquecendo-a.
Isso deixará de acontecer pelas razões que referi no post em que anunciei que o #Rahvolution será o meu ultimo álbum de Hip-Hop no sentido das Regras impostas pelos Limitados Reis da Tuga pois a Partir do Rahvolution não penso fazer mais Álbuns a seguirem essas regras…
Morrerei Hip-Hop ainda que não cumpra as regras Portuguesas da Cultura.

Hip-Hop tuga com as suas regras só se ouve na tuga por gente que entende português e toda a treta que o envolve, todo o teatro do faz de conta e a palhaçada que defende e representa com todos as suas estrelas “Mundiais”, “Novos Ricos” e “Humildes” “Profetas” e “Reais Mensageiros”.

TUDO NA SOCIEDADE PORTUGUESA É DIVISÃO, SEMPRE FOI E SEMPRE SERÁ PORQUE EXISTE UMA ENERGIA DE OPRESSÃO QUE INSISTIMOS EM PROMOVER E NOS DIVIDE EM TUDO O QUE NOS PODERIA DEFINIR COMO SOCIEDADE MULTICULTURAL.

COMO PODE HAVER SEGREGAÇÃO NO HIPHOP??
COMO PODE HAVER ELITISMO NO HIPHOP??
COMO PODEM NEGROS NÃO ENTRAREM EM DISCOTECAS DE NEGROS POR TEREM RASTA, TRANÇAS, CHAPÉUS, OU POR SEREM DESTA OU DAQUELA CLASSE SOCIAL??
Exemplos são demais, exemplos que mostram a sociedade preconceituosa, racista e divisória que vivemos e não deixem que o fenómeno kizomba vos engane, na tuga se és Negro só te tão Tempo de antena se não fores muito Africano.

As Razões e motivos para me separar deixando de vestir a “Camisola” do Hip-Hop Tuga são muito mais que as para ficar, a única Razão pelo qual continuarei a alimentar os meus amantes de Rap é pelo amor que tenho pelo mesmo estilo e pelo amor que tenho por aqueles que nele encontram Luz, de resto meu coração foi desligado desse episódio a que chamam de #HIPHOPTUGA senão o meu Lamborgini só existirá nos sonhos.” By #RaaaaaaaaaaaHiz

O passado deixou o parasita bem presente e a #FMN. Acredita que ainda vamos ouvir bué do RAHIZ.
Nem na America os Rappers se baseam no Boom bap. 2Pac & B.I.G. “usavam outros instrumentais”.

A FreeMind! News aguarda a nova evolução para a essência. PROTESTO!

https://www.facebook.com/RaHizOficial/photos/a.1450923048498525.1073741827.1450919795165517/1936614866596005/?type=1&theater

Brevemente, loja on-line disponível! Subscrevam a Newsletter. Ignorar